Boa tarde
Região EliasElias 19 Julho 2021 (93)

Estação de Tratamento de Água de Camboriú depende da cessão de área

Camboriú aguarda aprovação de cessão de área à concessionária para avançar com projeto da Estação de Tratamento de Água (ETA)

Estação de Tratamento de Água de Camboriú depende da cessão de área

A cidade de Camboriú está mais próxima de ter a sua própria Estação de Tratamento de Água (ETA). O Executivo Municipal identificou uma área pública de aproximadamente 5,5 mil metros quadrados e irá ceder à Águas de Camboriú – conforme previsto no contrato de concessão – após aprovação do projeto de lei que permite a cessão. A área está localizada no loteamento Jardim Europa, bairro Santa Regina.

De autoria do Executivo, o projeto de lei foi citado em plenário e aprovado pela Comissão de Justiça e Redação do Legislativo. No momento, aguarda parecer da Comissão Permanente de Urbanismo e Infraestrutura.

O vereador Claudinei Loos, que preside a Comissão de Urbanismo, cita que o documento deve ser analisado logo no retorno do recesso parlamentar, no início de agosto. Em seguida, será encaminhado para a presidência da Câmara para ser colocado em votação.

Assim que liberada a área por parte do poder concedente, a concessionária avançará com o projeto da Estação de Tratamento de Água para adaptá-lo à área disponível. Prevista no contrato de concessão, a construção da ETA vai demandar um investimento de cerca de R$ 15 milhões.

Após a liberação das licenças ambientais, a estrutura deve levar em torno de 8 meses para ser concluída e terá capacidade de produção de 70 litros por segundo.

O diretor executivo da Águas de Camboriú, Rodrigo Lacerda, explica que a concessionária já fez uma consulta de disponibilidade hídrica junto à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE) com o fim de pedido de outorga.

Atualmente toda a água que abastece o município é captada no Rio Camboriú e produzida na ETA da Emasa, em Balneário Camboriú. Com a construção da nova ETA, a Águas de Camboriú permanecerá adquirindo da Emasa a diferença entre a água produzida e o volume necessário para o abastecimento da cidade.

Segundo a presidente da Águas de Camboriú, Reginalva Mureb, "essa postura do prefeito Élcio sinaliza para que Camboriú avance na organização do seu sistema de água. Queremos realizar em Camboriú as obras que já estamos realizando em Bombinhas, Penha é São Francisco do Sul”.

* Luciana Zonta/Buriti Jornalistas Associados
Foto: Divulgação

Essa postura do prefeito Élcio sinaliza para que Camboriú avance na organização do seu sistema de água. Queremos realizar em Camboriú as obras que já estamos realizando em Bombinhas, Penha é São Franc

Notícias Relacionadas

Deixe seu comentário.