Bom dia
Política EliasElias 20 Julho 2021 (70)

Audiência pública sugere instalação de Fórum Permanente de Cidades Inteligentes

Vereador Marcelo Werner (PSC) encaminhou indicação ao chefe do executivo municipal

Audiência pública sugere instalação de Fórum Permanente de Cidades Inteligentes

Após a realização da audiência pública sobre Cidades Inteligentes na noite dessa segunda-feira (19), na Câmara de Vereadores de Itajaí, o vereador Marcelo Werner (PSC), proponente da audiência, encaminhou uma indicação ao Prefeito de Itajaí Volnei Morastoni (MDB) solicitando um projeto de lei que instale o Fórum Permanente de Cidades Inteligentes.

O fórum deve contar com a participação do executivo, legislativo, sociedade civil organizada e comunidade em geral.

A indicação foi justamente um dos encaminhamentos debatidos em conjunto com os participantes na mesa da audiência pública.

O fórum terá como objetivo o debate do tema Cidades Inteligentes, visando melhorias para o munícipio por meio da tecnologia e desenvolvimento sustentável, sempre a favor dos cidadãos. 

“Nosso debate foi bem intenso e resultou em um encaminhamento bem importante que é a realização de um Fórum permanente através do executivo, sendo aprovado pela Câmara de Vereadores, onde vamos estipular metas e objetivos garantindo a participação de todos".

"Esse é um tema que precisa ser permanente, pois o desenvolvimento virá através da tecnologia, mas o mais importante, que foi bem destacado ontem, é que as cidades inteligentes precisam ser mais humanas, ou seja, inclusivas e com foco na sustentabilidade”, afirma Werner. 

* Assessoria de Imprensa/CVI
Fotos: Davi Spuldaro/CVI.

Considerando as dinâmicas sociais e culturais que sustentam as cidades, o analfabetismo digital é uma realidade que deve integrar os planos de desenvolvimento de Cidades Inteligentes.

SOBRE A AUDIÊNCIA - A audiência pública que debateu as Cidades Inteligentes ou smart cities reuniu representantes de diversas áreas.

O evento, presidido por Werner, durou quase três horas e contou com a participação dos convidados e da comunidade, que pode enviar questionamentos aos membros da mesa. 

A primeira convidada a explanar sobre o tema foi a Deputada Federal Ângela Amin. Ela trouxe o conceito de smart cities como sendo cidades que permitem o desenvolvimento.

Elas devem ser pautadas na sustentabilidade, usando as tecnologias disponíveis para interconectar a infraestrutura das cidades e impulsionar a capacidade humana de cocriar melhores condições de vida urbana, com reflexos políticos, éticos, legais, sociais e econômicos. 

“Quando se começou a falar em Cidades Inteligentes, o paradigma tecnológico era muito forte, subestimava o aspecto humano. Depois percebeu-se a importância da capacitação do cidadão que mora na cidade, pois o foco precisa estar nele, observando como ele reage a uma mudança".

"Considerando as dinâmicas sociais e culturais que sustentam as cidades, o analfabetismo digital é uma realidade que deve integrar os planos de desenvolvimento de Cidades Inteligentes. O cidadão precisa estar preparado para explorar os potenciais da vida urbana digital”, destacou a deputada. 

Além da deputada Ângela Amin, também participaram da mesa de debates de maneira presencial e remota: o presidente do Conselho Consultivo do Consórcio Intermunicipal Multifinalitário da Região da AMFRI (CIM-AMFRI), Paulinho Bronhausen; o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Thiago Morastoni; o secretário municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Rodrigo Lamim; o diretor executivo de Gestão Urbana de Itajaí, Dalmo Vieira Filho; o advogado e professor de Direito, Alexandre dos Santos Priess; a arquiteta e urbanista Flavia Cristina Faita Sehn; o presidente do RenovaBR, Erick Jacques; além dos vereadores Otto L. Quintino Jr. (Republicanos), Gabriel Zanon (Podemos) e Aline Aranha (DEM).

CONFIRA A AUDIÊNCIA


Notícias Relacionadas

Deixe seu comentário.